Pesquisar
Close this search box.

MINHA CONTA

O Debate sobre as “Saidinhas” de Presos: Análise da Lei 14.843/24. por João Américo Rodrigues

16 de abril de 2024

No dia 11 de abril de 2024, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou, com veto, a Lei 14.843/24, que traz importantes alterações no sistema penal brasileiro. Uma das mudanças mais significativas diz respeito às saídas temporárias de presos em feriados e datas comemorativas. A referida lei, publicada no Diário Oficial da União em 12 de abril de 2024, promoveu debates acalorados sobre os rumos da execução penal no país.

A saída temporária de presos, popularmente conhecida como “saidinha”, é uma prática prevista na legislação brasileira que permite que detentos em regime semiaberto deixem temporariamente a prisão em datas específicas, como feriados, para visitar suas famílias, estudar fora ou participar de atividades de ressocialização. Essa prática é justificada por diversos argumentos, incluindo a manutenção de laços familiares, a ressocialização do preso e a humanização do sistema prisional.

No entanto, a Lei 14.843/24 trouxe mudanças significativas nesse cenário. O presidente Lula vetou apenas o trecho que impedia a saída temporária para presos que desejam visitar suas famílias, preservando assim o princípio da dignidade da pessoa humana e o direito à convivência familiar. Essa decisão foi fundamentada no entendimento de que a proibição de visitas às famílias dos presos em regime semiaberto violaria valores constitucionais fundamentais.

Além disso, a lei manteve a parte do texto que proíbe a saída temporária para condenados por crimes hediondos e violentos, como estupro, homicídio e tráfico de drogas. Essa medida visa segundo alguns, garantir a segurança pública e proteger a sociedade de indivíduos considerados de alta periculosidade.

Antes de ser sancionada, a lei foi amplamente discutida no Congresso Nacional, onde foi aprovada pela Câmara dos Deputados e pelo Senado. No entanto, o trecho vetado pelo presidente será reavaliado pelo Congresso, que poderá derrubar o veto e restabelecer a proibição das saídas temporárias para visitas familiares.

O debate em torno das “saidinhas” de presos levanta questões importantes sobre a eficácia do sistema penal brasileiro e a proteção dos direitos humanos. Enquanto alguns defendem a manutenção desse benefício como parte do processo de ressocialização dos detentos, outros argumentam que sua abolição é necessária para garantir a segurança da sociedade.

No entanto, é importante considerar que a saída temporária de presos é apenas um dos muitos aspectos do sistema penal que precisam ser analisados e debatidos. Uma política criminal consistente e baseada em evidências é fundamental para garantir a eficácia do sistema de justiça criminal e promover a segurança e a justiça para todos os cidadãos brasileiros.

Portanto, o desafio que se apresenta é encontrar um equilíbrio entre a ressocialização dos presos, a proteção dos direitos humanos e a segurança da sociedade, buscando sempre aprimorar o sistema penal brasileiro em busca de uma justiça mais eficiente e equitativa para todos.

 

ESTÁ GOSTANDO DO CONTEÚDO? COMPARTILHE

Facebook
Twitter
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ULTIMAS NOTÍCIAS

21 de junho de 2024

Nas vésperas de se desincompatibilizar de suas funções da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste, Sudene, para estar apto para disputar as eleições de outubro, o ...

21 de junho de 2024

A programação do Pátio de Eventos no Maior e Melhor São João do Mundo terá algumas mudanças neste fim de semana para trazer ainda mais ...

21 de junho de 2024

Arte feita em casa, Pernambuco. Profusão em cadeia. Câmara de efusivas discussões de história, tradição e contemporaneidade. Isso Foi um Estrondo? é o resultado do ...

21 de junho de 2024

A partir deste sábado, 22 de junho, acontece em Caruaru a “FESTA DA RUA 3 DE MAIO – 22 anos de Tradição!”, conhecida como uma ...